O uso da terra pode se tornar uma solução para as mudanças climáticas se o desmatamento tropical for reduzido, sistemas agrícolas forem propriamente gerenciados, e as emissões da produção agrícola (incluindo pecuária) forem reduzidas.

Estabilização do clima

A ciência mundial de ponta indica que o nosso clima está mudando devido às atividades humanas que liberam CO2 e outros gases para a atmosfera.

Agricultura, silvicultura e produção de gado são responsáveis por quase um terço do total das emissões globais.

  • Uma boa gestão do solo pode absorver 10% das emissões de CO2 do mundo.

  • O planeta tem vivenciado um aumento da concentração atmosférica de CO2 de 278ppm em 1750 a 390.5ppm em 2011.

  • O IPCC estima que os oceanos absorveram cerca de 30% das emissões humanas de CO2

Global Emissions
Principais fontes globais de emissões de gases de efeito estufa para a atmosfera (2004).

Essas emissões correm o risco de aumentar à medida em que produtores mundiais se mobilizam para acompanhar o crescimento da demanda. No curto prazo, as mudanças climáticas significam um clima mais extremo; secas extremas, inundações e temperaturas extremas que podem exacerbar o desafio crescente de questões relacionadas à posse da terra e segurança alimentar, restringindo a produção global de alimentos, fibras, combustível e rações para animais. As populações pobres serão as mais afetadas pelas mudanças climáticas. Contudo, o uso da terra também pode se tornar uma solução para as mudanças climáticas.

O uso da terra poderia remover mais CO2 da atmosfera do que libera. Contudo, isso depende do sucesso da humanidade em diminuir e em seguida reverter o desmatamento tropical e a degradação florestal; gerir sistemas agrícolas e pastagens que possam acumular mais matéria orgânica no solo; e reduzir as emissões associadas à produção agrícola e pecuária. A queda do desmatamento na Amazônia brasileira demonstra que rápidas reduções de emissões globais são viáveis.