Melhores resultados para os empreendimentos florestais comunitários


As famílias e comunidades rurais controlam cerca de 30% das florestas nos países em desenvolvimento[i], e muitas delas têm negócios baseados na floresta (ex., empresas familiares, associações, cooperativas). Estes empreendimentos são gestores de florestas e parceiros importantes na luta contra a mudança climática. Também vendem uma série de produtos e serviços florestais. Contudo, tais empreendimentos deixam passar um ponto crucial: o lucro. Encontramos um modo de auxiliar tais empreendimentos a melhorar seus resultados financeiros e queremos compartilhar com vocês.

A Green Value é um programa que o Dr. Thomas Holmes do Serviço Florestal Americano e eu concebemos a fim de auxiliar os empreendimentos florestais familiares e comunitários e seus colaboradores a monitorar e analisar seus custos e renda. Nossa meta é ajudar a empoderar tais empreendimentos a fim de que tomem melhores decisões e que sejam financeiramente viáveis no longo prazo.   Já capacitamos pessoas na região amazônica pela Green Value desde 2012.

Agora, tenho o prazer de compartilhar a Green Value com você por meio do nosso site multilíngue www.green-value.org. No site, você encontrará uma série de recursos, inclusive um breve vídeo, uma versão atualizada do Guia do Usuário da Green Value e das planilhas para monitoramento e análise de custos e renda, além do Kit do Facilitador da Green Value para as capacitações. Os materiais estão disponíveis em inglês, espanhol e português.

Qual é o impacto da Green Value? Em muitas iniciativas, o uso da Green Value fornece uma primeira visão precisa de seus custos e renda. Um grande exemplo é o de Nelly Arroyo, que possui uma empresa familiar de bambu juntamente com seu esposo no Equador. Quando a Nelly analisava seu negócio de bambu em uma oficina da Green Value em 2014, ficou surpresa com os altos custos de mão de obra e transporte. Quando a Nelly e seu esposo iniciaram um novo negócio com o bambu no ano seguinte, eles compraram equipamentos a fim de reduzir os custos com mão de obra e, ao invés de ir buscar o bambu com os fornecedores, eles pediram para entregar. A Nelly recentemente compartilhou conosco que ainda usa a Green Value a fim de monitorar os custos das varas de bambu e com os insumos que recebeu, conseguiu aumentar sua rentabilidade em 43%.

Outro exemplo é a Cooperativa Mista da Floresta Nacional do Tapajós (Coomflona), um empreendimento comunitário florestal na Amazônia brasileira. A equipe da Coomflona, outros colaboradores e eu usamos a Green Value para analisar os dados financeiros da cooperativa para as safras de madeira para 2007, 2011 e 2013. A análise descobriu que a cooperativa era altamente rentável, com taxas de retorno que foram de 11% em 2007 para 92% em 2013. Além disso, documentamos que em 2013 a produção madeireira da cooperativa gerou mais de 1,5 milhões de dólares para as comunidades locais. Esta quantia inclui os salários dos trabalhadores permanentes e temporários, a compra de bens e serviços do comércio local e os lucros, que foram reinvestidos nas outras atividades comunitárias da cooperativa e distribuídos para vários fundos (ex., para educação, saúde).

Nelly e a equipe da Coomflona estão entre as quase 250 pessoas na Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, e Guatemala que eu e parceiros capacitamos em como usar a Green Value. Durante oficinas de três dias os alunos usaram as planilhas da Green Value para analisar a viabilidade financeira de mais de 40 produtos diferentes, inclusive produtos florestais madeireiros e não-madeireiros, como a castanha-do-Pará, e serviços, como o turismo e os créditos de carbono. Estamos acompanhando um grupo seleto de pessoas capacitadas e vamos compartilhar como eles usam Green Value e como ela lhes impactou em estudos de caso, que serão publicados até o final do ano.

Quem estiver interessado em usar a Green Value não precisa esperar por uma oficina. O Guia do Usuário da Green Value traz explicações detalhadas e ilustrações dos seis passos para usar as planilhas na coleta e análise de custos e receitas. Quando chegar ao passo 5, a recompensa é uma série de resultados animadores, inclusive o custo por atividade, custo por unidade vendida, renda líquida e taxa de retorno. Esta informação é útil para uma melhor negociação de preço justo, fortalecimento da gestão e transparência financeiras, acesso a financiamento e fortalecimento da sustentabilidade dos empreendimentos. E o novo Kit do Facilitador da Green Value, que foi desenvolvido com a Rede Internacional de Bambu e Ratã, facilita aos usuários treinarem outras pessoas no uso da Green Value também.

Espero que visite www.green-value.org para obter mais informações a respeito da Green Value, e por favor escreva para mim para me dizer como vai com os materiais!

[i] RRI. 2012. What Rights? A Comparative Analysis of Developing Countries’ National Legislation on Community and Indigenous Peoples’ Forest Tenure Rights. Washington DC: Rights and Resources Initiative.

In English

En Español

Share:
Share on FacebookTweet about this on Twitter