A Aliança Sustentável dos Trópicos

A Aliança Sustentável dos Trópicos (AST) é uma parceria estratégica de organizações independentes, não-governamentais baseadas em pesquisas, envolvimento de diversos participantes e conhecimento local para melhorar os meios de subsistência rural resultantes do uso da terra sustentável com baixas emissões e gestão de recursos naturais nas principais regiões dos trópicos.

Regiões e países representados pela Aliança dos Trópicos Sustentáveis

Os membros fundadores da Aliança são Earth Innovation Institute (Brasil, Indonésia, Colômbia), Pronatura-Sur (México), Instituto del Bien Comun (Peru), Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Brasil), e Greenbelt Movement (Kenya).

A Aliança está desenvolvendo abordagens compartilhadas para promover o desenvolvimento rural de baixas emissões que enfatiza soluções localmente informadas e concebidas que se integram ou podem escalar até políticas e programas de níveis subnacional e nacional.

A Aliança serve como uma plataforma para que seus parceiros possam trabalhar juntos em uma escala global de apoio às políticas, arranjos institucionais e mecanismos de mercado que apoiem o desenvolvimento rural sustentável de baixas emissões nos trópicos. A força desta rede reside na sua capacidade de compartilhar lições aprendidas e desenhar conjuntamente estratégias de desenvolvimento rural de baixas emissões que possam servir de modelo para outras regiões.

  • Os países foco da Aliança Sustentável dos Trópicos abrangem 46% das florestas tropicais mundiais.

  • O potencial de redução de emissões dos países foco da AST é de cerca de 300 GtCO2e até 2020 se o desmatamento for reduzido em 50%.

  • Os países foco da Aliança Sustentável dos Trópicos incluem as principais regiões produtoras de soja, gado, e óleo de palma no planeta.

Estratégia

Rose Wheel graph

Cinco pilares principais definem o progresso rumo ao desenvolvimento rural de baixas emissões. Estes cinco pilares podem ser considerados objetivos universais, enquanto que o processo pelo qual uma região pode alcançar estes objetivos é altamente variável de acordo com o contexto e condições específicas de cada região.

Ao invés disso, a Aliança Sustentável dos Trópicos (AST) apoia um modelo de Desenvolvimento Rural de Baixas Emissões (DRBE) que é explicitamente baseado em evidências, participativo e interativo, adaptável, e focado em regiões subnacionais definidas por fronteiras administrativas ou bacias hidrográficas. O modelo de DRBE é baseado na premissa de que as relações entre atores e os recursos de base são fundamentais para a mudança do modelo atual de desenvolvimento rural de altas emissões. Esses atores incluem governos, instituições financeiras, grandes produtores e extratores, pequenos produtores, povos indígenas, comunidades tradicionais e a sociedade civil.

A AST visa suprir a falta de políticas de mercado e estrutura institucional eficazes para mudança dos modelos predominantes de desenvolvimento rural, em que a expansão da fronteira agrícola (seja para produção de commodities em larga escala ou de subsistência) impulsiona o desmatamento tropical e a degradação florestal, que por sua vez leva à degradação de uma gama de outros serviços do ecossistema dos quais muitas comunidades locais e regionais dependem, como fontes de água, peixes e caça, madeira e recursos do solo.

Estudos de Casos

Trabalho Relatado